Crítica à Crítica. É mais fácil encontrar vida fora da Terra.

Crítica à Crítica. É mais fácil encontrar vida fora da Terra.

Tempo de leitura: 11 minutos

Para que serve a Crítica?

Vamos combinar. Uma das coisas mais chatas da vida é a Crítica.

Mas, vamos ser sinceros, em relação a esse hábito (ou vício?):

Eu critico/Tu criticas/ Ele critica/ Nós criticamos / Vós criticais / Eles criticam

A crítica é quase um hobby. Psicólogos afirmam que é um mecanismo de auto afirmação, e no meu modo de entender, os psicólogos estão certos.

No afã de querer expor alguma falha alheia uma das grande críticas que podemos fazer a crítica é: será que o ser criticante não está apontando o dedo para o ser criticado apenas na vã esperança de esconder os próprios defeitos?

Sendo que ironicamente, paradoxalmente, o maior defeito acaba sendo justamente esse, de tornar-se uma pessoa excessivamente crítica.

O Ser Criticante quer, de alguma forma, dizer que percebe a vida melhor do que o Ser Criticado.

Nesse artigo vou tentar responder uma simples pergunta:

Afinal de contas, para que serve a crítica?

Vou te mostrar por que no meu modo de entender:

A critica é inútil!

Além disso irei lhe fornecer:

Um pequeno manual prático de como lidar com criticas;


Clique e consulte como levar as palestras de Daniel Salsa para alunos e/ou professores


Glossofobia

Já ouviu falar de Glossofobia?

Glossofobia é o medo e/ou pavor de falar em público. Insegurança, desconforto físico, emocional, náuseas, sensação de pânico.

Pesquisas comprovam que um dos maiores medos do ser humano é o medo de falar em público, muitos consideram maior do que o medo da morte.

 

Para evitar críticas, não faça nada, não diga nada, não seja nada.

Elbert Hubbard

 

Ou seja, medo de ser criticado. Ameaça à autoestima e autoimagem.

Já pensou se as pessoas descobrem que eu não sou aquilo que eu imagino que elas imaginam que eu sou? Dá embrulho no estômago.

Indesejada & Necessária

No meu modo de entender a crítica é inútil não por que ela não seja necessária, mas por que ela não é desejada.

Você já acordou algum dia na vida com esse desejo? – Ahhh! Hoje o que eu estou a fim mesmo é de receber umas críticas!

A crítica, por mais urgente e necessária que seja,  é na imensa maioria das vezes uma invasão ao centro nuclear do ego de alguém. Um lugar sagrado para maioria de nós, seres humanos.

Pessoas de bom senso sabem que é arriscado ouvir apenas pessoas que concordem com a gente, mesmo sabendo disso, reconhecem que a crítica é uma coisa chata.

Eu nunca vi, sério, nunca vi, alguém ao ser criticado falar assim: – Interessante isso que você falou, agora que você disse isso eu vou mudar totalmente.

Não que isso não aconteça, mas sejamos honestos, para cada 1000 críticas, quantas vezes isso deve acontecer?

Você consegue imaginar o Presidente da República assistindo o Alexandre Garcia no Bom Dia Brasil e mudando de opinião? É mais fácil encontrar vida fora da Terra.

99,99% das vezes a crítica não serve para nada.

Hiper Exigência

Uma outra coisa que a crítica faz é revelar que exigimos que o outro supra nossas expectativas íntimas. Acompanha o meu raciocínio:

Imagina uma professora que fosse eleita uma das 20 melhores professoras do mundo. Você consideraria uma professora de sucesso? Eu, sim.

Imagina que essa professora fosse eleita uma das 20 melhores professoras do mundo, durante 19 anos seguidos. Você consideraria uma professora de sucesso? Eu, com certeza, sim.

Em 11 desses 19 anos essa professora ficou entre as 10 melhores professoras do mundo.

Sendo que duas vezes ela foi a 3ª melhor professora do mundo e por outras 2 ocasiões ela foi a 2ª melhor professora do mundo.

Ela tem duas medalhas de bronze e duas medalhas de prata para pendurar na parede e mostrar para todo mundo que durante quatro vezes foi uma das 3 melhores professoras do mundo.

Você consideraria ela uma professora de sucesso? Eu, com certeza absoluta, sim.

Além disso, durante esses 19 anos, essa professora ganhou dinheiro suficiente para que se ela quisesse se aposentar no final de cada ano ela teria dinheiro para viver a vida inteira.

Mesmo assim, ela continuou, acumulando 19 “aposentadorias” seguidas, imensamente bem sucedida financeiramente.

Você consideraria uma professora de sucesso?  Mesmo nunca tendo ganho o título de melhor professora do mundo?

Até hoje, 19 anos depois, ela ainda dá algumas aulas e já chegou a ganhar, em apenas uma única aula, 1 milhão de reais. Fala para mim, você a consideraria uma professora de sucesso?

Acho que não existe pessoa que dissesse que não.

Pois bem, eu acabei de te contar a carreira do Rubens Barrichelo e
tem muita gente que acha que ele é um fracasso.

Eu amaria ter “um fracasso exatamente igual” ao do Rubens Barrichelo.

Além disso, agora ele faz propagandas que brincam com sua “lentidão”. Ele ganha dinheiro com as críticas que ele recebe. Realmente, é o cúmulo do fracasso.

A história do Rubinho mostra que exigimos do outro aquilo que não temos a capacidade de fazer nem 1%

Repito: a Crítica é inútil.

Mesa Redonda

 

Imagina se existisse uma lei que obrigasse as pessoas a criticarem apenas aquilo que elas comprovadamente fazem melhor?

Ia ter muita gente demitida no mundo, principalmente no mundo do futebol.

 

Para você que está chegando agora, criticando o que está feito, deveria estar aqui na hora de fazer. Não sejas um especialista em usar a crítica ao que está feito como pretexto para nada fazer. Assina, aquele que fez, quando no momento de fazer, não sabia-se como.

Abrahan Lincoln

Ficam quatro caras em uma cabine: um narrador, dois comentaristas do jogo e um comentarista da arbitragem. Eles ficam lá analisando tudo.

E de repente, um dos comentaristas fala que o esquema tático está completamente equivocado, que o técnico deveria trocar o médio volante por um atacante.

O comentarista está falando isso para milhões e milhões de espectadores, menos para a única pessoa que interessa: o técnico do time.

E, ainda por cima, o comentarista é pago para isso, para falar mal do trabalho dos outros, sem produzir efeito prático algum.

Se ele está tão interessado assim no sucesso do time, não era melhor ele ter o celular do treinador e falar direto com ele?

Quando chega nas mesas redondas (programas esportivos) a coisa fica ainda pior.

Reúnem até oito entendidos para analisar o vídeo tape de uma jogada e ficam discutindo se foi ou não foi impedimento.

Você já viu algum jogo voltar por que os caras descobriram que foi impedimento e o juiz não viu o antebraço do atacante 17 cm na frente do corpo do zagueiro?

Isso acontece quase todos os dias, homens e algumas mulheres deixam suas famílias em casa vão para um estúdio de televisão para falar do trabalho dos outros, de forma totalmente inócua, ou seja, não importa o que eles falem, nada irá mudar.

Imagina se tivesse a lei de falar só quem faz ou fez melhor? Quantos comentaristas sobrariam?

Outra coisa, para ter alguma esperança de efeito é importante que o Ser Criticado esteja presente, na maior parte das vezes nem estão.

Pessoas amam fazer happy hour para falar mal do chefe, só esquecem de levar o chefe junto. Você já foi convidado em alguma sexta feira para falar bem do chefe?

Críticas construtivas

Existem aqueles que defendem a ideia de críticas construtivas. Hoje já observamos um avanço em relação a isso.

As pessoas já assumem com sinceridade que estão fazendo críticas destrutivas mesmo. Pelo menos há um quê de integridade nisso.

Qual é o elemento fundamental para uma crítica produzir algum efeito?

A crítica só produz algum efeito, tão somente se o Ser Criticado estiver com predisposição de melhorar.

E oras, se o o ser criticado está com predisposição de melhorar eu nem chamo a avaliação de crítica, pois faz parte do trabalho.

Para sermos práticos, objetivos e eficientes, antes de qualquer análise deveríamos perguntar: você está disposto a melhorar?

Se sim, compartilhamos nossa opinião. Se não, passar bem, não servirá para nada.

Mas não serve para nada mesmo?

 

Seria uma injustiça com a crítica dizer que ela não serve para nada.

Eu estaria sendo muito crítico com a crítica. Lembra que eu disse que 99,99% não serve para nada, então resta 0,01%.

A crítica serve para construir discernimento. Para separar o joio do trigo, o que serve e o que não serve, o que é útil do que não é útil e por aí vai.

Mas ela serve mais para ideias do que para pessoas, então, na essência eu nem considero uma crítica, é mais um aprimoramento, um recurso de percepção da vida e dos fatos (bonito isso né?).

Um recurso de percepção da vida e dos fatos.

Como lidar com críticas?

Mas como críticas são inevitáveis e teremos de lidar com elas eternamente, resolvi tentar facilitar nossas vidas.

Os jovens costumam me perguntar: – Você já contou alguma piada e ninguém riu?

E eu respondo: – Diversas vezes. Sabe o que acontece quando a gente conta uma piada e ninguém ri? Nada. Por isso que neurocirurgiões ganham mais do que humoristas, quando os humoristas erram, ninguém ri, já quando os neurocirurgiões erram…

Partindo desse princípio elaborei um:

Pequeno Manual  Prático para Lidar com Críticas

1º:  Seja você mesmo e conforme-se

Não importa o que você fale, pense e faça, você será criticado de qualquer forma mesmo. Isso é uma dura realidade.

Na época da escola eu era um dos que mais falavam e me expressavam e fui muitas vezes criticado, já um outro amigo meu ficava sempre na dele, quieto, tanto que o apelido dele era Pedra. E ele era criticado também.

Não há saída para a crítica. Conforme-se.

2º: Seja um ser melhorável: 

Seja você mesmo, mas seja daquelas pessoas que são predispostas a melhorar.

3º: Use Filtro Solar:

Se avaliar que a crítica serve, está bem, se avaliar que não serve, amém!

4º: Coloque em perspectiva:

Coloque suas falhas em perspectiva, quais são as grandes consequências do que você falou ou fez? Se você não é um neurocirurgião, controlador de voo ou coisa parecida, provavelmente só causou um pequeno constrangimento passageiro.

5º: Use a dosemetria adequada:

Para cuidar de plantas é preciso regar com água, mas não com água fervendo.

Para lidar com pessoas uma coisa é sinceridade, outra coisa é sincericídio. Falar a sua verdade cuidando da alma alheia (por mais que a alma alheia mereça uma água fervente).

Refletir: estou construindo muros ou pontes?

Muros qualquer idiota sabe fazer, agora pontes exige um conhecimento mais aprimorado da engenharia dos relacionamentos humanos.

LEIA O ARTIGO: Sovbre a Construção de Muros. Qual é o “x” da questão?

Um tapa machuca o corpo, palavras mal proferidas quebram o espírito.

6º Deixe os críticos em paz

O 6º e definitivo passo, deixe os críticos em paz. Não polemize, não bata de frente, não se ressinta.

Avalie com sinceridade se o que você faz, fale e pensa, integra princípios e propósitos

legítimos. Aguente o tranco e siga em frente. Faz parte.

 

Uma reflexão final

Mas se mesmo depois de tudo o que eu disse, você continua achando que crítica serve para alguma coisa quero te propor um exercício.

Uma vez me perguntaram, para que serve a arte?

Eu respondi que não sei para que serve a arte, só sei que se a gente tirar todas as obras de arte do mundo ficaria um vazio imenso. A arte deve servir para preencher esse vazio.

Faça o mesmo exercício com a crítica (inclusive com os críticos de arte). Tire todas críticas da vida e como a vida ficaria?

 

Quanto mais criticamos, menos amamos

Honoré de Balzac

Um mundo de paz e alegria. As críticas não fariam falta nenhuma, pois as críticas não servem para (quase) nada.

Agradeço imensamente sua atenção, se tiver algum comentário, sugestão ou CRÍTICA estou a sua disposição.